O “novo normal”, previsto pelo Conselho Mundial de Turismo

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) descreveu como será o “novo normal” a partir do momento em que os países começarem a encerrar seus bloqueios devido à covid-19 e facilitar as restrições de viagens. Nas últimas semanas, a entidade vem organizando os esforços do setor privado e compartilhando as melhores práticas de diferentes regiões do mundo para trabalhar no caminho a ser seguido.

Segundo o conselho, o setor enfrentará um retorno gradual às viagens nos próximos meses, em meio a um “novo normal” antes que uma vacina se torne disponível em escala maciça. Diante disso, a colaboração público-privada entre empresas e governos é vital para o desenvolvimento de novos protocolos de saúde que formarão a experiência de viagem e também fornecerão às pessoas fortes garantias ao viajar.

É provável que os deslocamentos retornem primeiro aos mercados domésticos, depois para os vizinhos mais próximos de um país antes de expandir pelas regiões e, finalmente, pelos continentes para dar as boas-vindas ao retorno de viagens a destinos internacionais de longo curso.

NOVOS PROTOCOLOS

Os protocolos, que foram desenvolvidos usando a experiência da recuperação inicial da China e dos novos padrões bem-sucedidos usados pelos varejistas, serão anunciados na íntegra nas próximas duas semanas e compartilhados com os governos globalmente para que haja uma abordagem coordenada para viajar pelo mundo com a nova realidade da covid-19.

Há sinais positivos dos primeiros passos da recuperação na China, como divulgado recentemente pela ForwardKeys. Pesquisas recentes mostram que mais de 30% da capacidade doméstica retornou ao mercado de aviação chinês nos últimos dois meses.

Para acelerar a recuperação global, o WTTC continuará trabalhando em estreita colaboração com o G20, a União Europeia, organizações internacionais e governos em todo o mundo para ajudar a traduzir os novos protocolos em políticas públicas facilmente adotadas por cada país, ao mesmo tempo em que adere a padrões globais comuns.

Fonte: Panrotas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *